Oi! Que bom te ver por aqui.

Hoje vamos conversar sobre o primeiro e, talvez, o principal conceito pra levar leveza a nossa mente.

O que vou te contar pode parecer muito simples e acredito que você já deve ter experimentado em algum momento da vida. Porém, por ser tão simples, muitas vezes damos pouca importância ou usamos de forma aleatória.

Você ter que ter um Mente como água

O truque é desenvolver uma Mente como água*.  Trata-se de uma prática proveniente das artes marciais, que induz a mente a um estado de fluxo constante. Ou seja, totalmente limpa e desobstruída para se adaptar aos acontecimentos externos.

Na prática isso significa ter uma mente resiliente, em outras palavras, que reage ao que chega, se adapta e volta ao seu estado de fluxo normal. Segundo David Allen, “o segredo é limpar a mente para mantê-la aberta e capaz de reagir”.

Parece impossível, não é?  Mas, o que precisamos fazer é não sobrecarregar a nossa mente com informações que podem ser armazenadas em outros lugares, como no papel, por exemplo.

“Se sua mente está vazia, está pronta para qualquer coisa: está aberta pra tudo”

Shunryu Suzuki

Mas como aliviar a mente nessa rotina maluca?

Existem várias formas e, provavelmente, você adotou algumas práticas para aliviar a mente. Quando você tira férias, por exemplo, você se esforça para ter resolvido boa parte das tarefas do trabalho com antecedência, não é mesmo? Ou, você deixa o que tem de fazer de lado, porque aquele é seu momento de relaxar.

No dia-a-dia não é tão simples assim. Isso porque, adotamos a prática de encher nossa mente de informações, tarefas pra fazer, datas e horários pra lembrar e pequenas coisinhas que lembramos do nada, seguidas da frase “depois eu faço”. Isso tudo sobrecarrega a mente e cria um monte de acordos internos mal resolvidos.

Lidando com os acordos internos

O que chamamos de pendências, são acordos que fizemos com nós mesmas e deixamos a mente lidar sozinha.

Imagine uma sala cheia de luzes vermelhas e amarelas piscando. É assim que vejo minha mente quando tudo parece uma bagunça e as coisas estão fora de controle. Você também se sente assim? Então, calma… respira, vamos nos dar as mãos e pegar uma folha de papel.

A primeira coisa a se fazer é: identificar e capturar todas essas coisas piscando na sua cabeça. Comece fazendo uma lista de todas as ações, geralmente elas começam com um verbo. Exemplo:

  • Finalizar curso de escrita
  • Começar projeto da casa
  • Levar netbook para técnico e diagnosticar o defeito
  • Pesquisar onde vende flores naturais
  • Limpar o escritório sexta

Você pode fazer pequenas observações e separa-las das atividades com um símbolo diferente, por exemplo:

[use um pontinho • para ações]

  • Finalizar curso de escrita

[Use um traço -para notas]

  • Não consigo encontrar motivação para continuar, porque será que isso está acontecendo? Queria tanto escrever melhor.

[Aqui você pode fazer uma sub-tarefa]

  • Finalizar curso de escrita
    • Listar motivos para fazer um curso de escrita

Tirando do papel

Depois de criar uma lista enorme de “coisas” é hora de esclarecer o que cada uma delas significa pra você, onde, quando e se elas serão executadas.

Tente fazer as seguintes perguntas para cada item da lista:

  • O que isso significa pra mim? Qual o motivo pelo qual me envolvi nisso?
  • O que devo fazer para cumprir essa ação?

Depois, releia a lista e marque (com um coraçãozinho por exemplo) aquelas que são mais urgentes, por questões de datas ou quando você depende delas para dar sequencia a outras.

Lembre-se: não tenha medo do tamanho dessa lista, cada coisa tem seu tempo, você não precisa fazer tudo agora ou nas próximas semanas. Separe essas atividades em categorias de tempo. Por exemplo: mês tal, semestre que vem, ano que vem … Como você achar melhor.

Estabeleça um sistema de lembretes

Todas as luzes foram capturadas e esclarecidas? Ótimo! Agora saiba que sua mente não é obrigada a se lembrar de tudo. Todas as coisas que tem data devem ir para um sistema de calendário. De preferencia que toque um alarme no dia e hora que aquele evento deve acontecer.

Para as demais ações, separe em outro sistema como planner, bullet journal, agenda, ou em algum lugar que você se sinta confortável e que alivie sua mente dessas atividades. Todas essas “coisas” devem ser organizadas em ferramentas eficazes, não na sua cabeça.

Não tenho tempo, Anna

Então… o tempo é o mesmo pra todo mundo amiga, e te confesso que eu também me atrapalho com esses laços abertos. Porém, cada dia comprovo que o problema é a falta de definição sobre o que são essas “coisas” e quais as ações que elas exigem.

Quanto mais aprendo isso, mais fácil é distribuir as horas do dia para que consiga fazer o que deve ser feito. Deixando a mente sempre limpa, a fim de que ela possa receber os excessos das rotinas agitadas e processá-los com tranquilidade.

Está curtindo o conteúdo? Então faça parte do nosso grupo.

Mas eu faço listas, mesmo assim as coisas permanecem no mundo das ideias

Eu não conheço afundo sua rotina, mas você pode conversar comigo nos comentários ou inbox do instagram. Mesmo assim, vou usar da experiência do David Allen para enumerar 3 coisas que podem está acontecendo.

1. Você pode não ter determinado exatamente o resultado que deseja alcançar.

Ou seja, os motivos pelo qual você está fazendo aquilo podem não está claros e por isso você não consegue ver além da atividade, ou mirar no que acontece no final do processo, nos frutos que você vai colher, ou na solução que vai chegar. Como no exemplo das aulas de escrita.

2. Você não definiu qual a próxima ação física.

Se sua pendência demanda várias ações, pode considerar um projeto. Por exemplo, preciso criar um projeto básico pra reformar minha casa, isso demanda várias pequenas ações até que esteja tudo pronto para entregar ao mestre de obras. Se essas ações não estiverem bem claras, provavelmente vou me perder e algumas luzes vermelhas vão acender.

3. Ou, você não registrou o resultado almejado e as ações necessárias para alcança-lo em um sistema confiável de lembretes.

Nesse caso eu costumo por tudo em uma folha de papel, depois distribuir as atividades no meu planner e os projetos no aplicativo Notion (depois posso falar mais sobre ele se vocês quiserem, comentem aqui que faço um post só sobre ferramentas).

Então, tudo o que tem uma data pra acontecer vai para meu aplicativo de calendário com notificações. Isso tudo deve ser revisado toda semana, geralmente faço no domingo a noite, assim posso planejar as ações previstas para a próxima semana.

Resumindo, para que nossa mente esteja mais aliviada devemos aprender a tirar dela todo acumulo de ações/pendências e colocar no papel, ou em um sistema que funcione pra gente. Funcione significa nos lembre e facilite na hora de executar a ação. Como trabalho com ferramentas de organização posso contar pra vocês sobre elas em um outro dia.

Hoje vou ficando por aqui, como sempre, é uma alegria compartilhar ideias com você. Espero que tenha te ajudado, depois me conta se essas informações foram úteis pra você de alguma forma lá no inbox do instagram ou aqui nos comentários. 

Uma semana linda e leve pra você

Com Carinho,

Anna

 

*Conheci esse conceito no livro A arte de fazer acontecer de David Allen.

2 thoughts on “ Primeiro passo para de aliviar a mente ”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *